Aprenda como fazer mudas de suculentas

Como Fazer Mudas de Suculentas

Aprendendo a maneira correta você pode propagar a espécie de sua planta favorita sem gastar nada com isso. Então aqui vamos falar um pouco sobre como fazer mudas de suculentas.

Suculentas são plantas muito resistentes. Justamente por isso elas são capazes de se reproduzir a partir de partes amputadas da planta.

Hoje, aprenderemos os princípios fundamentais da amputação e enraizamento. Ao final, você poderá começar a produzir suas próprias mudas de suculentas.

Para comercializar, expandir o cultivo e até mesmo montar um belo mini jardim, essas dicas serão magníficas para você. Acompanhe até o final, combinado?

Recordando a natureza das suculentas

Suculentas adaptaram-se à privação de água e ao excesso de incidência solar. Este é o principal motivo pelo qual apresentam sua forma fofinha e exótica.

Diferentemente de outras plantas, as suculentas não possuem folhas finas. Suas estruturas engrossaram para retenção de água em seu interior.

A produção de mudas de suculentas repousa especificamente nesta questão. Quanto mais “limpa” a separação entre o segmento amputado e a planta, melhor.

Assim, o corte adequado é o que garantirá cicatrização e, posteriormente, enraizamento. Caso contrário, veríamos o apodrecimento daquele segmento sem jamais produzir.

Eis a mágica da produção de mudas de suculentas: a partir de uma única matriz, somos capazes de gerar várias outras suculentas adultas.

Passemos, então, ao entendimento do processo de geração das mudas de suculenta. Daremos um enfoque especial nos principais tipos de suculenta.

Desse modo, garantimos que você saiba exatamente o que fazer com sua planta. Tudo bem? Vamos lá, então.

Coletando as mudas de suculentas

Como Fazer Mudas de Suculentas

É importantíssimo conhecer o procedimento adequado para cada tipo de suculenta. Afinal, nem todas possuem a mesma estrutura.

Vejamos, então, como agir em cada situação específica. Comecemos pelas suculentas florais.

Retirando mudas de suculentas florais

Chamo de florais as suculentas que assemelham-se a flores verdes e gordinhas. Nelas, um segmento original fez brotar outros segmentos. Eles se harmonizaram, estruturando-a.

Nestes casos, cada um dos segmentos é capaz de transforma-se em mudas de suculentas.

Para exemplificar, a sedum adolphii é um excelente exemplo deste tipo de suculenta. Repare em sua estrutura, e como possui “folhas” que lembram gomos de tangerina.

Aqui, a amputação deve ser realizada na extremidade do gomo. Muitas vezes, a amputação sequer faz-se necessária. Há gomos que se descolam sozinhos da planta.

Importa, apenas, que o segmento não esteja ferido. Não é correto que se veja o seu interior úmido.

Quando isso ocorre, o segmento não conseguirá cicatrizar a tempo. Assim, irá, infelizmente, apodrecer e morrer. Não se faz, portanto, mudas de suculentas com segmentos feridos.

Após a amputação ou colheita, é importante deixar o seguimento secar. Um ou dois dias são suficientes, na sombra, em local arejado.

Findo este período, basta repousar uma dessas mudas de suculentas novas sobre um vasinho berçário. Ele deve conter substrato para suculenta e, se possível, pouquinho esterco seco.

Não é preciso enterrar as mudas de suculentas. Basta posicionar sobre o solo. O enraizamento começará logo depois de brotarem novos gominhos.

Neste período, não é preciso que haja rega. Muita umidade pode levar as mudas de suculentas ao apodrecimento. Se necessário, pingue algumas gotas de água no substrato, mas poucas.

Em algumas semanas, as mudas de suculentas já terão raízes. A partir daí, basta aguardar seu desenvolvimento para transferir ao vaso individual.

Se não sabe como montá-lo, leia nossa matéria sobre como montar um vaso para suculenta. E, quanto à decoração, fica totalmente a seu critério. Sei que fará algo belíssimo.

Sedum Morganianum

Coletando mudas de suculentas pendentes

Para coletar mudas de suculentas pendentes, o processo segue a mesma lógica. Não podemos, sob nenhuma circunstância, ferir as mudas de suculentas.

A amputação ou retirada deve ser feita de modo que privilegie a cicatrização.

Caso possuam uma estrutura de braços, retire todo o braço na base. Se desenvolvem-se em caules, faça um corte limpo em um deles.

Especificamente na sedum morganianum, um processo interessante pode ser realizado. Ela é a suculenta conhecida como rabo-de-burro, por sua aparência.

Como seus pendentes não dão acesso à base e podem ser muitos grandes, faça isto:

Corte um dos braços a cerca de 10cm desde seu início. Mantenha os segmentos da ponta, de modo a formarem uma roseta.

A partir dessa roseta, remova os demais segmentos, expondo o caule. Deixe, então, cicatrizarem todos os cortes e, então, posicione-a para enraizamento.

Fazer mudas de suculentas impossíveis de amputar

Algumas suculentas, como a harworthiopsis attenuata, não permitem amputação. Esta é a suculenta zebra, com aparência de aloe vera.

Nestes casos, as mudas de suculentas devem ser feitas desmembrando nichos.

Ocorre que a suculenta zebra brota sempre em novas estruturas inteiras. Elas se desenvolvem a partir da planta matriz, ganhando o espaço do vaso.

Então, para fazer mudas de suculentas desta natureza, temos que desmembrar um nicho novo do principal. E, embora seja delicado, é um trabalho simples.

Basta retirar todas as plantas do vaso. Isso, claro, com todo o cuidado para preservar as raízes. Retirada, basta separar os nichos da planta principal.

Não havendo corrupção das raízes, a matriz pode já ser replantada. Contudo é interessante deixar que todas cicatrizem antes do contato com o substrato.

Fazendo isso, garantimos que nenhuma ferida venha a apodrecer. Nossa planta matriz permanece saudável. Além, teremos, agora, várias mudas de suculentas para trabalhar.

Se gostou da matéria, compartilhe em suas redes sociais. E, se ficou alguma dúvida, basta falar com a gente. Será um prazer te ajudar!

Estamos muito felizes com sua visita, e esperamos que volte em breve.

Até já, amantes de suculentas!

Conteúdo

Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *