Como preparar o vaso para suculenta ideal

Vaso para Suculenta

Montar o vaso para suculenta é uma atividade muito prazerosa. Além disso, escolhendo criteriosamente os componentes do vaso, podemos assegurar saúde e durabilidade a nossa plantinha.

Garantimos, assim, que ela tenha seja bem cuidada. Ainda, podemos nos atentar melhor a suas necessidades, garantindo que tenha de que precisa para crescer.

Hoje, ensinaremos como preparar o vaso para suculenta ideal. Dos componentes à preparação do substrato, você vê tudo aqui.

Acompanhe até o final.

Os componentes imprescindíveis em um vaso para suculenta ideal

Para preparar um vaso para suculenta ideal, os componentes são nossa primeira preocupação. Final, já falamos sobre a escolha de vasos em nossa matéria sobre suculenta em vaso.

Assim, temos que pensar no que colocaremos nele. Terra? Substrato? Mas qual? É, aqui, que vamos te ajudar.

Utilizaremos, aqui, os seguintes componentes. São todos baratos e fáceis de encontrar ou fazer, tudo bem?

  • Pedras: dimensionadas de acordo com o tamanho do vaso para suculenta;
  • Bidim ou TNT: para selagem dos sólidos, no vaso para suculenta;
  • Substrato para suculenta: clicando no link, você acessará um guia completo de como preparar o substrato perfeito para suculentas e cactos;
  • Pedras de decoração e forragem: pedras de tamanho menor, próprias para jardinagem.

Por motivos práticas, a decoração externa do vaso para suculenta não será tratada. Acontece que sua imaginação deve fluir, nesta etapa. Tenho certeza que fará um trabalho incrível.

Focaremos, dessa maneira, em questões mais técnicas. São elas que determinam a saúde e longevidade de suas suculentas.

Montando o vaso para suculenta

Cuidando do fundo do vaso

Primeiro, temos que garantir a perfeita drenagem da água excedente. Vaso para suculenta molhado provoca doenças, favorece fungos e atrapalha a vida da planta.

Desse modo, preencheremos o fundo do vaso para suculenta com pedras. Obviamente, dimensionaremos essas pedras de acordo com o tamanho do vaso.

Em recipientes muito pequenos, pedrinhas de jardinagem podem ser ideais. Basta que haja espaço entre elas, para que a água escoe livremente. Apenas evite lascas de mármore.

A seguir, temos que nos certificar de que os compostos de alimentação não fujam do vaso para suculenta. Para isso, temos a manta de bidim.

Trata-se de um produto geotêxtil pensado justamente para isso. A manta de bidim permite o perfeito escoamento da água, mas segura os sólidos em seu lugar.

Não encontrando o produto, tudo bem: basta utilizar materiais similares e atóxicos. TNT pode servir. Apenas tome cuidado para não ser algo que apodreça facilmente.

Posicione, assim, a camada de pedra no fundo. Se forem muito pequenas, não as deixe escapar pelos furos do vaso para suculenta. Outra camada de bidim ou mesmo jornal resolverão.

Assente as pedras e repouse o bidim sobre elas. Lançar o substrato imediatamente sobre elas pode não ser ideal. Afinal, o substrato molhado escorrerá, preenchendo os espaços vazios.

Terminada esta etapa, lance água dentro do vaso e verifique se o escoamento está bom. Em caso negativo, será preciso repensar alguns fatores.

Talvez pedras levemente maiores funcionem. Porém, se não tiver sucesso, opte, então, por argila expandida. Sua forma oval garante que os espaços sejam substanciais.

Atingindo o sucesso, é hora de passar para o próximo passo.

Preparando a nutrição e assentamento da suculenta

 Esta etapa foi abordada anteriormente com bastante profundidade. Na matéria — linkada acima —, apontamos quais ingredientes utilizar em seu substrato.

O substrato será o corpo do vaso para suculenta. Ele se ocupará da nutrição, hidratação e assentamento da planta. Suas raízes se desenvolverão justamente no substrato.

Se leu a matéria indicada, você já possui os conhecimentos necessários para sua produção. Quando estiver com o substrato pronto, coloque-o sobre as pedras cobertas por bidim.

Aqui, você não precisa preencher o vaso para suculenta totalmente. Deixe um espaço de sobra de, mais ou menos, 10% da área total do vaso.

E, sob nenhuma circunstância, pressione o substrato. Isso acarretaria em aglomerados sólidos de terra. Além de atrapalhar a drenagem, eles impediriam a oxigenação interna do vaso.

Lembre-se que, ao plantar muda de cacto ou suculenta, menos adubo é melhor. Nestes casos, o substrato só deve ser adubado quando a planta enraizar e começar a se desenvolver.

Posicionando a planta no vaso

Aqui, a grande diferença reside na condição da suculenta que ocupará o vaso. Assim, sendo uma muda, o processo será levemente diferente de uma planta enraizada.

No caso das mudas — que ensinamos a fazer na matéria apontada —, é bastante simples. Cicatrizada, basta deitá-la sobre o substrato. Não é preciso fazer qualquer tipo de pressão.

Importa, apenas, que a cicatriz da amputação tenha pleno contato com o substrato. O processo de enraizamento será natural. Ele levará algumas semanas.

Neste momento, você pode borrifar pequenas quantidades de água sobre o substrato. Mas evite tê-lo muito úmido. A muda já estava hidratada, quando retirada da matriz.

Já com as suculentas enraizadas, o processo é levemente diferente. Será necessário que o substrato cubra as raízes.

Assim, retire o suficiente do substrato para que a planta entre inteira no vaso para suculenta. Quando as raízes estiverem totalmente a ponto de cobrir, devolva o substrato.

Novamente, não faça qualquer tipo de pressão. Deixe que os grãos ocupem seu lugar naturalmente. Combinado?

Com o tempo, o substrato pode ceder um pouco, deixando muito espaço vago. Se sim, coloque um pouco mais. Mas sempre deixe aqueles 10% livres.

Finalizando o vaso para suculenta com requinte e funcionalidade

Vaso para Suculenta

Aqueles famosos 10%, sobre os quais nos repetimos, farão sentido agora. Ocorre que, tanto em caráter estético quanto funcional, há algo que podemos e devemos fazer.

Este algo diz respeito a uma camada de pedras de jardinagem sobre o substrato.

A função destas pedras é tanto ornamental quanto funcional. Ocorre que, nas regas, o toque da água pode comprimir ou esburacar o substrato. E isso não seria conveniente.

Desse modo, as pedras de jardinagem recebem o golpe, e o substrato continua aerado.

Apenas tome cuidado para não colocar muitas pedras, nem utilizar pedrinhas muito pequenas. Elas poderiam impedir a oxigenação do solo, reduzindo sua saúde.

Agora, basta posicionar seu vaso para suculenta no local escolhido. Sua planta crescerá linda, iluminando e colorindo seus ambientes com sua magnitude.

Se gostou, compartilhe esta matéria. E, havendo dúvidas, basta dividi-las conosco, nos comentários.

Foi e sempre é um prazer imenso ter vocês por aqui. Fiquem atentos às novidades, e voltem sempre!

Conteúdo

Relacionados:

2 respostas

    1. Oi Sandra, olha particularmente não gosto de usar nos meus vasos.
      Quando eu compro uma suculenta que já vem com pedriscos a primeira coisa que faço é tirar.
      Em alguns vasos meus eu coloco argila expandida. Fica bem rústico mas acho bonito e prático para retirar quando preciso verificar o substrato.

      Obrigada por participar! Um abraço e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *